Um grupo de funcionárias da UE cobriu as fotos expostas de todos os ex-presidentes masculinos do Parlamento Europeu. Uma forma de mostrar descontentamento por uma União dominada por homens, num dia de greve feminina por uma representação igual e salário igual.

A funcionária do parlamento, Laura Krenske, refere: "No Parlamento Europeu, podemos ver que a política ainda é feita para e pelos homens, especialmente com a ascensão de homens de direita e fortes. É super importante que nos mantenhamos firmes. Eu sinto que há muitos homens em fatos em todos postos e em estátuas em todas as construções. Todos os edifícios são nomeados por homens e aqui na parede também há muita representação masculina e uma pequena representação feminina".

 

E não é apenas um sentimento, é a realidade que esta jovem mulher, Iverna Mc Gowan, quer mudar. Para isso, deixou a direção da Amnisitia Internacional em Bruxelas para tentar tornar-se deputada pela Irlanda. Mas não tão fácil como pensava. "É muito difícil para as mulheres, em particular, serem selecionadas para serem candidatas e eleitas, e isso é algo que descobri por mim própria. Os obstáculos que as mulheres enfrentam, seja a cultura, o acesso ao dinheiro e outras expectativas sociais são tão grandes que nunca são suficientemente boas para serem o melhor candidato ou o que trabalha mais arduamente. Nós precisamos de quotas, de apoio estrutural, para alcançarmos uma maior igualdade de género".

FONTE: https://pt.euronews.com/2019/03/08/mais-mulheres-nas-instituicoes-europeias

JSN Solid template designed by JoomlaShine.com